22 setembro, 2013

ROMA


Este é sem duvida um dos destinos que toda gente deveria de conhecer. A única comparação que posso fazer para em palavras tentar descrever todo o seu esplendor é de que se trata de um museu a céu aberto. Ao contrario do que até agora tenho tentado retratar, em Roma não é fácil explorar a cidade num curto espaço de tempo, eu precisei de quase cinco dias (16 a 20 de Setembro de 2013) e mesmo assim vim com a sensação que me esqueci de algo.



O Primeiro conselho que posso dar, e que no final vão constatar que se tornou uma grande ajuda, é que devem de procurar hospedar-se num local o mais central possível e nunca próximo do Termini. (local com ambiente pouco amigável e que devem de evitar, sendo preferível gastar mais alguns euros em outro local do que os perder todos no Termini ao serem assaltados). Assim ao estarem alojados num ponto central da cidade não necessitam de bilhetes de transporte pois é completamente desnecessário porque em cada canto há um pedaço de historia que não vão querer perder, isto já para não falar na ruas intransitáveis a veículos motorizados que de tudo têm para mostrar, por isso levem um bom par de sapatilhas e confortáveis pois vão fazer alguns Km's a pé. O que posso aconselhar é comprar talvez nos últimos dias um bilhete de autocarro turístico, tal como eu fiz para fazer a despedida á cidade e constatar que pelo menos passei por os pontos de maior influencia e que já mais se podem deixar de conhecer num "Museu" como este.



Eu comecei a minha visita pelo Coliseu de Roma, local que temos que visitar duas vez, uma de dia para ir visitar o interior, e outra á noite para recolher uma boa fotografia e admirar o monumento iluminado, depois têm mais um serie coisas a visitar em volta do Coliseu de Roma, tais como o Arco de Constantino, Circo Massimo, Parco Del Colle Oppio, etc., que se tiverem oportunidade (aqui quando digo oportunidade refiro-me a liquidez financeira, pois alguns paga-se entrada) devem visitar pois vale a pena, agora não se percam muito no tempo pois vão precisar dele para outras atrações. Ali próximo têm o Monumento a Vítor Emanuel II da Itália, com entrada livre e quase sempre com exposições de entrada livre também e mais uma vez a circundar este monumento podem encontrar outra atrações como a Basílica de Santa Maria, Praça de Marco Aurelio, Templo de Apollo Sosiano, e por forma a ver esta zona completa com as suas visitas não podem deixar de ir Ilhota Tiberina no Rio Fiume Tevere.




Todo isto que acabam de visitar encontra-se no lado oposto á Cidade do Vaticano, por isso aconselho a que façam algumas caminhadas mesmo pelo Centro Histórico da Cidade, como já tinha referido em cada virar de esquina vão encontrar algo diferente, histórico e impar com qualquer outro sitio que já tenham visitado, no entanto não descorando de tudo o que há para ver no centro da cidade, marquem no vosso mapa como passagem obrigatória Praça Navona, Praça da Rotonda, Pantheon, Igreja de St Ignazio de Loyota, Fonte de Trevi, Fonte da Barcaccia, Trinita dei Monti. Outra coisa que devem ter em atenção e principalmente para que gosta de parar e apreciar a maneira de estar e o estilo de vida dos habitantes locais nada como aproveitar um café numa esplanada das inúmeras praças que existem na cidade e assim aproveitam para descansar um pouco para depois iniciar a caminhada até a Cidade do Vaticano.








Agora que já visitaram grande parte da Cidade de Roma, nada como logo pela manha cedinho partir para a Cidade do Vaticano para evitarem as filas intermináveis, por isso tentem chegar mesmo á hora de abertura da Basílica de São Pedro e mesmo assim não irão ser os primeiros da fila. Aqui não há palavras que descrevam o que os olhos vêm, começando pela emoção que inconscientemente nos ocupa por só vermos a cúpula da Basílica de São Pedro até chegarmos á Praça de São Pedro. Após entrarem na Basílica disfrutem do momento e explorem, informo para quem não sabe que podem subir até ao cimo da cúpula, tendo duas opções a pé por escadas sendo 520 degraus ou por elevador e economizando apenas 200 degraus. Mesmo depois de todas as caminhadas eu não abdiquei de fazer a subida pelos degraus, e aconselho o mesmo. Uma vez no cimo da cúpula apreciem a paisagem, porque depois de todo o esforço e completamente merecido.



Chegado o momento de ir visitar o Museu do Vaticano, e também aqui depois de entrarem simplesmente gozem o momento com calma, e tendo a cabeça constantemente a fazer rotações de 180º na horizontal e na vertical, pois não há nada que não nos fascine, então os tetos esses parecem acabados de polir, e para quem não sabe é aqui no Museu do Vaticano que se encontra a Capela Sistina e os carros utilizados por Sua Santidade o Papa (Papamóvel), por isso não saiam sem procurar bem e encontrar.



Depois de saírem da Cidade do Vaticano têm outro ponto de referencia, principalmente para quem gosta de ler as obras de Dan Brown, e foi ver o filme de Anjos e Demónios, temos assim o Castelo de Sant'Angelo e a Ponte de Sant'Angelo, locais onde foram feitas as gravações do filme.


Agora que já viram praticamente todos os locais de maior relevância e que podem dizer que visitaram Roma, se sobrar algum tempo façam como eu fiz e comprem um bilhete turístico de 24 ou 48 horas e vão como um turista passar por toda a cidade de Roma e do Vaticano, se entretanto virem que se esqueceram de alguma coisa nestes autocarros podem sair e entrar no próximo sem problema algum, eles passam de 10 em 10 minutos.

Dicas Importantes:
  • Refeições: Em Roma tenham cuidado com os menos e informem o funcionário que vos estiver a servir que é mesmo o menu que vocês querem, pois caso contrario vão pagar mais pois em vez de vos servir como "diária" vão servir á dose o que as quantidades são praticamente as mesmas o que difere é o valor da fatura no fim. outra coisa é não estranharem na fatura o "serviço" que isso pagam em 90% dos restaurantes.
  • Transferes: Esses podem comprar logo de ida e volta através da companhia Terravision que presta serviço mesmo á entrada do aeroporto de Ciampino e Fiuminino, fazendo a ultima paragem em Rome Termini Station.


Este foi o meu companheiro durante quase toda a viagem, de nome Maximus. Digo quase porque de uma forma muito irresponsável da minha parte e caricata ao mesmo tempo enquanto olhava para o lada apos lhe tirar uma foto á entrada da Cidade do Vaticano o Maximus foi raptado e até hoje ainda não tive mais noticias.

Agora tu, aproveita a vida sonhando em viajar e viajando para te libertar.