17 março, 2016

Afinal, Viajar, não é ao acaso...



Humanidade divide-se em duas partes: as pessoas que preferem o sossego de casa e as que sentem uma vontade insaciável de viajar. O que determina o lado a que se pertence é a genética.
 
Nesta situação concluo que na minha genética para alem de viajar, existe um desejo insaciável de pegar também na  máquina e tripé, calçado de maneira a poder fotografar nos lugares mais improváveis, sem medo da chuva ou do frio, tendo na alma o olhar, no coração as emoções de quem quer captar um sonho, ou um momento que eternize o seu olhar e mais tarde possa recordar.
 
“Se algo não pode ser escrito, ou pensado, ele pode ser fotografado.”
 Stanley Kubrick